domingo, 3 de maio de 2009

Bolas de Gude

Acredito que todos ao nascer recebem uma emaranhado de fios, que cabe em nossas duas mãos. Durante nossa caminhada nessa vida fazemos escolhas, optamos por vontade própria ou dos outros, decidimos o que será melhor, ou que achamos melhor ao menos. Mas, chega uma hora na vida que nos questionamos sobre o que é melhor, sobre o que fazer.
A cada vez que tomamos uma decisão que não é de inteira nossa vontade, é como se o mundo, mãe, pai, amigos, familia, nos puxasse um fio desse emaranhado, e , quando se puxa um fio é um nó que se dá. Temos que tomar muito cuidado, pois depois de tanto puxar esse emaranhado vai virar uma bolinha de nós, maciça, não vai mais fazer aquele barulho engraçado, não vai ter mais onde puxar, e aí, podemos jogar no chão, guardar no bolso, brincar como se fosse bola de gude.
Temos de tomar cuidado para não nos tornarmos bolinha de gude. Vão tentando a todo tempo puxar nossos fios e temos que estar sempre atentos para evitar, afinal, depois de puxado não há como desfazer. Podemos viver com alguns nós mas depois que nos tornarmos a temida bolinha de gude não tem escapatória, serviremos para qualquer coisa, seremos o brinquedo de alguém, e esse alguém pode querer brincar com a gente, guardar em uma coleção ou então jogar fora, e se te jogarem fora, desista, você já era!