sábado, 24 de setembro de 2011

frustração

Às vezes temos que aceitar que algo não funciona.
O trabalho que talvez não seja pra você, o jantar que não era pra ter sido feito, o amigo que não devia ter ligado, o amor que não acontece.
Largar tudo e aceitar, simples, só não indolor. Mas porque sempre ficamos duvidando se é o certo a fazer?
A dúvida, definitivamente é algo que prolonga o amor, e que o acaso diga que é melhor assim.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Relatos de abdução

Me perguntaram hoje se já amei, não soube responder, não por achar que nunca o vivi mas por não saber o que significa exatamente. Talvez existam dias certo para resolvermos saber o que é amor.
Passo a achar que não se trata de sentimento e sim de ‘estado de espirito’, como se tudo estivesse em tanta harmonia que poderia ser classificado como perfeito, tornando a pessoa ao lado essencial para tal: O riso sem sentido, o jantar agradável, as pessoas educadas, o tropeçar engraçado, tudo, fazendo parte do amor.
Quem vê o amor não o sabe sentir. Assim quem me vê não sabe o que sou.
Ao olhar desatento, apenas cumpro minha rotina: trabalhar, estudar, estudar, trabalhar, comer, sair, rir, beber, trabalhar, estudar, estudar, trabalhar. Mas ao mais minimalista, carrego em meu bolso o chaveiro que ganhei de minha mãe, visto roupas amassadas por desapego a moda, ando com calçados que disseram ser seguros e destinaram a mim, dirijo a moto que prometi comprar, respiro e sinto o aroma da flor de uma casa desconhecida recordo de minha avó.
Enfim, o amor não é o buquê de flores na mão de uma mulher. Não sei o que significam flores, o amor, só sei sentir.