segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Apaixonar-se diariamente

Nos apaixonamos fatalmente uma única vez em nossa vida e essa será ao que no futuro chamaremos de amor, existem diversos outros tipos de paixão e aconselho a todos que se apaixonem por todas pessoas possíveis das mais diversas formas que puderem, mas antes de tudo isso que conheça essa paixão fatal. Ela entre todas é a mais incríveis, te domina por completo e te faz sentir-se apaixonado várias vezes. Nesses dias, em alguma hora de cada um deles tenho percebido que me apaixonei novamente pela mesma pessoas e às vezes até pelo seu pior defeito, parece doentio mas como é bom adoecer disso e como é de dar inveja. Apaixono-me por ela a cada amanhecer, a cada cotucão, a cada brincadeira, a cada sorriso, a cada sinal de beleza que ela nem percebe ter, estou fatalmente apaixonada e isso supera quaisquers obstáculos pois quando se chega a esse nível a paixão é amor.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Patologização do mundo moderno

Eu ás vezes me encaro em um lugar totalmente do avesso que deveria estar. Onde vou parar com tantos número e reações se o que quero é filosofar? O que me salvou de cair em um precipício por tal conclusão foi comprar bananas no mercado. O mundo tem sido corroído pela patologização das angustias, confesso não ser especialista, mas já reconheci diversos sintomas pelas ruas simplesmente caminhando sem qualquer método profilático. Certo dia estava na fila do mercado, havia comprado bananas, como de praxê havia a tal situação: 7 Funcionários em pé conversando, 1 caixa aberto e 5 pessoas na fila, 3 dessas tinham o dobro da minha idade somada a da mulher que pagava a conta. Esses últimos criticavam toda aquela espera considerada insustentável, estavam fatalmente angustiados. Para não ser mais uma vitima me virei e questionei: “Quando vocês tinham minha idade certamente a fila iria demorar bem mais do que hoje que temos um problema, então porque se angustiam com isso ao invés de sorrir e constatar como a evolução é benéfica?”. Por um segundo ofereci a eles a cura momentânea, mas logo voltaram a franzir a testa. Alerto a todos que fiquem atentos para não sofrer desse mal, sua transmissão ainda é desconhecida mas já vi casos em que apenas uma troca de olhar já foi suficiente. Nesses momentos em que me vejo ao avesso de tudo, paro e adoeço também, me angustio entre números, ciclos, filosofias, tristezas e penso seriamente em que estou fazendo do meu futuro. E de súbito, assim como adoeci vejo que a patologização das angustias é também algo bom! A inquietação, a procura por informação, a insatisfação é algo magnifica, afinal, se me incomodei é por que pensei, se pensei é por que tinha base para tal e veja só, o mais incrível: Sei o caminho para sanar tudo isso. A grande solução dessa angustia sempre está em sua base, é a parte de sustentação que talvez não esteja fundamentada ou os princípios propostos iniciais e finais se perderam. Em alguns momentos estamos nos angustiando pelo esquecimento do que almejamos, temos essa tendencia de memória seletiva e de curto alcance. A angustia tende a rodear a cabeça e se elevar ao nível terminal da patologia: o medo. “Escrevo numa tarde cinzenta e fria Trabalho pra espantar a solidão e meus pensamentos Hoje assumi em público minha doença Estou mais leve, mais livre Mais ainda tenho muitos medos Medo de voar, de amar Medo de morrer, de ser feliz Medo de fazer análise e perder inspiração Ganho dinheiro cantando minhas desgraças Comprar uma fazenda, fazer filhos Talvez seja uma maneira de ficar pra sempre na terra Porque discos arranham e quebram Amor” (Carta Dani – Cazuza) Ao cair nesse estágio sua reversão ainda é possível desde que consiga iluminar sua mente e estabelecer onde está e onde quer chegar. Depois desta auto-psicanalise reavalie suas estratégias, corrija erros e realize mudanças de rotas ou reafirme as anteriores. O mundo é uma eterna angustia e fazer parte e sair dela é o que torna o homem um ser incrível.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

O mais incrível da vida, de tempos em tempos, ainda é o amor. De todos os mundos secretos dentro deste, de todos os não secretos também ele é o único que tende a florescer por todas as terras. Das mais secas, esturricadas, as mais propícias. Ainda não entendemos o porque, o que motiva, só sabemos que se desloca em uma fração de segundos um arrepio que toca a sola dos pés e atinge a nuca, passando pelas costas como um raio trazendo com ele um tremor inconsciente. Em um mundo pode ser discreto, apenas olhares a um qualquer, no outro são flores muito bem selecionadas da melhor floricultura.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

"De todas as tecnologias que criei, sou a mais obsoleta"
"Às vezes até mesmo o coração tem que ser racional"

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Entrei no meu quarto hoje e percebi o caos em que vivo, minha mãe tem razão, logo pensei. Aos poucos fui arrumando, pegando uma meia aqui, um papel para jogar fora e assim foi. O quarto ficou arrumado, deitei, pensei...por onde eu fui?
Todas aquelas coisas faziam parte do que eu sou, uma bagunça, um caos, sentimentos.
A calça que mais gosto estava na cama, a bolsa que me faz companhia, o remédio de todo dia, o perfume, contas, acessórios, tudo, em um conjunto meu e eu simplesmente organizei tudo e me desfiz.

sábado, 24 de setembro de 2011

frustração

Às vezes temos que aceitar que algo não funciona.
O trabalho que talvez não seja pra você, o jantar que não era pra ter sido feito, o amigo que não devia ter ligado, o amor que não acontece.
Largar tudo e aceitar, simples, só não indolor. Mas porque sempre ficamos duvidando se é o certo a fazer?
A dúvida, definitivamente é algo que prolonga o amor, e que o acaso diga que é melhor assim.