sábado, 28 de março de 2009

Louco é quem rasga dinheiro?

Alguém sabe onde fica guardado o tesouro nacional? Ou onde se fábrica o dinheiro, ou melhor, onde mora quem libera a fabricação do dinheiro? Será uma pessoa correta, ou corrupta? Não sei, mas a cada dia dúvido mais da existência dessa pessoa.
Tudo começou há muito tempo onde as pessoas trocavam ovelhas por ovos, bois por terra, e um monte de coisa absurda. Aí um dia descobriram o ouro e julgaram ele valioso. - Porquê ninguém nunca achou o trigo, ou o feijão valioso? - Se cansaram de carregar ouro e criaram as moedas que valiam o ouro que cada um tinha guardado no banco. As moedas se tornaram pesadas e criaram notas, que valiam pelo mesmo ouro guardado no banco. Depois desse tempo ninguém mais soube direito sobre esse ouro guardado, ou melhor , sobre o tesoura nacional. Ninguém sabe dizer quanto se tem ou se existe.
Me disseram que é um sistema muito rigoroso que não é simplesmente imprimir notas, tem que ter liberação e um monte de burocracia, de praxe, claro!
Mas, me pergunto sempre, quem garante? A cada dia que conheço mais as pessoas tenho a certeza que o tesouro nacional é uma réplica de ouro, bem parecida, mas de plástico. Ninguém nunca vê, ou viu, mas todo mundo anda com as notas no bolso e se acham importante por isso.
Há pouco tempo foi liberado 1,5 bilhões de dólares para os bancos americanos, parei e pensei, esse dinheiro existe? Será que tem uma comissão de mineradores que ficam procurando ouro para o tesouro nacional? Imaginé, acharam 100kg de ouro e denominaram que cada quilo de ouro valia 1000 reais, supondo que existia uma população de 100 habitantes, havia 100000 reais distribuído entre as pessoas, supondo que essa população triplicasse, o ouro haveria de triplicar? De onde vem o lucro?
E agora me diga é louco quem rasga dinheiro ou quem tem medo de ficar sem?

segunda-feira, 23 de março de 2009

O pouco que nos satisfaz.

Eu acho engraçado, mas muito mesmo, como todo ser humano pode ter a mente tão pobre? Todo mundo se acostuma com o pouco, o pouco que é suficiente, mas continua sendo pouco.
Aprendem a sonhar com o emprego que o irão satisfazer, mas não com o tão sonhado. Sonham com o marido e mulher que terão características que lhe farão bem, mas não tudo. Sonham com a melhor carne, mas preferem comer a pior, ou a intermediaria. Sonham alto, mas ao mesmo tempo desejam tão pouco.
Sinto a falta dos jovens, aqueles que são loucos, que usam uns cabelos tão estranhos e são tão sensíveis a moda. Aqueles que querem tudo, e que acham que vão ter. Ah, se deixassem serem assim pra sempre.
Desde sempre vamos sendo podados, uma hora é a meia que não se usa mais no terço médio na perna e sim na canela. É a cor que não ta mais na moda. É a calcinha de bordadinho que você não pode usar. É a verdade que você não pode falar. É a injustiça que tem de ser justa. É o que acham ideal, mas está longe de ser o certo.
Querer tudo deve ser obra do diabo, acreditar por muito tempo deve resultar no purgatório, conseguir deve ser a própria morte no inferno. Mas sorte que temos a divindade, o poder superior que nos poda, e nos deixam como um tronco sem vida onde os brotos logo morrem.
É que todo mundo se acostuma com pouco, o pouco que é suficiente, mas continua sendo pouco.