sexta-feira, 29 de maio de 2009

Gente eu tô ficando impaciente a minha fome é persistente.

Amarelo, roxo, um pouco de rosa, tudo intercalado, sem combinar. Arte, desenho, pintura, rua, frio, vermelho, preto, branco, vermelho. Vento, sol, óculos escuro, carro, barulho, música, cigarro, Amaretto, gelo e limão. Ah vida bandida dessa arte.
Quero mais prazer ao olhar as ruas, quero mais cores no meu quarto, na minha cama, quero um travesseiro triangular. Quero emoção nos vidros de condicionador, quero desodorantes sorridentes, quero músicas em 3D, quero vídeos alucinantes, quero êxtase digital.
Quero ouvido médio, tímpano, córnea, retina, adenóide, fossas nasais, palato, língua, tudo vibrando em um ritmo que não há em lugar algum. Quero prazer, suor, libido, quero tudo com cores e formas, quero paredes me engolindo, quero vultos, mais uma tragada, por favor?
Frio, frio pra voar, frio na barriga, cores frias num quadro, eu quero é arte, eu quero mais que arte, quero o que a arte não explica, quero sentir, quero saborear, quero gostar, eu só quero é brincar.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Caminho da harmonização das energias"

Em uma viagem numa bela tarde andei estudando melhor meus centros de energia e comecei fielmente acreditar neles, sim, parece piada, mas não é. Eu canalizei minhas energias no meu centro, podem rir!
E a partir dessa canalização realizei vários movimentos respiratórios e durante um desses percebi como meu pé era magro, e minha perna também e assim como o resto de tudo, me senti pequena, se houvesse uma caixa ali me guardaria dentro dela e sobraria espaço.
Aquela minha imagem de todos os dias de uma pessoa forte, grande se acabou e eu senti pena. Tinha um corpo embebido por um mal, voltado ao desnorteamento em um esqueleto, que talvez nem seja tão magro, mas foi o que vi. E aí pensei: O que faz esse corpo achar que é grande?
A mente às vezes surpreende a gente, nos põe mascaras, nos dá trajes, atos e expressões que nos fazem ser o que queremos, um dia de Madonna, outro Gretchen, literalmente Você é o que você quer. Mas o que seria seu corpo sem sua cabeça?
Nada.
Talvez se tivesse alguns neurônios a mais, ou usasse aqueles 80% do meu cérebro inútil eu teria uma resposta melhor, mas enquanto isso continuo pensando nessa historia toda da energia, que porra é essa?